Sábado, 9 de Fevereiro de 2008

Green God

Trazia consigo a graça

das fontes quando anoitece.

Era o corpo como um rio

em sereno desafio

com as margens quando desce.

 

Andava como quem passa

sem ter tempo de parar.

Ervas nasciam dos passos,

cresciam troncos dos braços

quando os erguia no ar.

 

Sorria como quem dança.

E desfolhava ao dançar

o corpo, que lhe tremia

num ritmo que ele sabia

que os deuses devem usar.

 

E seguia o seu caminho,

porque era um deus que passava.

Alheio a tudo o que via,

enleado na melodia

de uma flauta que tocava.

 

ANDRADE, Eugénio de, Primeiros Poemas/ As Mãos e os Frutos/ Os Amantes sem Dinheiro, Volume 1, 2ª/ 6ª/ 7ª/ Janeiro de 1978, Limiar.

publicado por canecaspartidas às 19:31
link do post | comentar | favorito

.posts recentes

. O Portugal futuro

. A um estrangeiro

. O guardador de rebanhos

. O guardador de rebanhos

. O guardador de rebanhos

. Dia Mundial Saúde

. O guardador de rebanhos

. O guardador de rebanhos

. Homenagem à nossa vila...

. O guardador de rebanhos

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
15
16
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
29
30


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds